Categorias
Notícias

Creche do SESI retoma as aulas presenciais e mantém medidas de segurança contra covid-19

Segurança máxima no retorno presencial do ano letivo da educação infantil na Escola SESI Dr. Francisco Garcia, no Distrito Industrial. Com as medidas do Protocolo de Segurança das Escolas SESI Amazonas, os alunos da Creche (Berçário ao Maternal 3), de 4 meses a 3 anos de idade, retornaram nesta segunda-feira, 8, às aulas presenciais. Alunos da Pré-escola (1º e 2º período), de 4 e 5 anos, vão recomeçar na próxima quinta-feira, dia 11.

A Escola SESI está adequada ao novo decreto estadual, com a utilização de 50% da capacidade de suas salas de aula e medidas de segurança. Nesse primeiro dia, aproximadamente 150 crianças retornaram às atividades presenciais.

Desde a entrada, às 6h da manhã, os pais, alunos e funcionários já seguem o protocolo de segurança implementado pelo SESI. No hall da escola, o piso recebeu adesivos com marcações de distanciamento para professores e alunos que têm aferição de temperatura com termômetro digital e higienização com álcool em gel a 70% nas mãos, calçados e mochilas. A circulação no local é controlada e, de acordo com a gestora Sinthia Cavalcante, tem sido limitada para a entrada e circulação dos responsáveis.

“Os pais dos alunos mais velhos, do maternal, têm entrada mais limitada na escola para evitar aglomeração e manter uma circulação mínima nos corredores da escola. Assim que esse aluno chega na Creche já é recepcionado pelos professores e auxiliares, para formarem filas e entrarem em sala de aula. Estamos com horários diferenciados (escalonados) para entrada e saída dos alunos na escola, para evitar aglomerações”, explica Cavalcante.

As atividades pedagógicas que envolvam aglomerações em ambientes fechados também serão evitadas. O acolhimento e preparação do SESI para retomada desse ano letivo iniciou-se de forma remota em fevereiro utilizando o Google Classroom, por onde estavam sendo enviadas as atividades e orientações, além do contato direto com os pais em grupos pelo WhatsApp para tirar dúvidas e compartilhamento das aulas gravadas. De acordo com a professora Lucilene Trindade, os alunos retornaram para o ensino presencial sem dificuldade para assimilar e entender as novas regras.

“Estávamos tendo aulas diárias on-line e desde o ensino remoto, em casa, já orientávamos para a importância dos cuidados, como a higienização das mãos, uso de máscara e distanciamento das cadeiras com os colegas em sala, sempre explicando de forma lúdica com vídeo, músicas e figuras, o que é esse vírus e a importância de se cuidar”, relatou ela.

“Com os bebês, o protocolo reforça as medidas de higiene e rotina de cuidados que já eram realizadas pelo SESI, com uso obrigatório de máscaras (professoras), higienização das salas, carrinhos e cadeirões. E os pais devem enviar capas limpas para o colchão e lençóis de uso pessoal para trocas diárias”, disse a psicóloga do SESI, Déborah Moreira.

Categorias
Notícias

Alunos do SESI são premiados na Olimpíada Nacional de Ciências

Três alunos da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa foram premiados com Menção Honrosa na Olimpíada Nacional de Ciências (ONC) e estão entre os melhores desempenhos em nível nacional. A olimpíada foi realizada em formato on-line no dia 22 de janeiro. Os alunos Ana Carla de Araújo, Edward Guimarães e Nelson Keiji obtiveram pontuação para o destaque na competição, que aplica provas com questões objetivas, envolvendo áreas como Astronomia, Biologia, Física, História e Química.

“Participar da ONC foi uma experiência totalmente diferente de qualquer outra olimpíada, porque reúne muitos conteúdos e acaba sendo um desafio para o aluno que tem que estudar um universo de coisas que não vai ser só utilizado na prova em si, mas dentro das avaliações da escola e externas, como Enem e até em concursos públicos”, relatou o aluno Edward Guimarães, 17, da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa.

Pela primeira vez participando da competição científica, Guimarães explica que, apesar da experiência desafiadora, se sentiu preparado e incentivado pelos professores a participar. “Eu ainda não conhecia a competição e, quando a professora de Química a apresentou em sala de aula, eu me interessei e decidir tentar. Nas duas fases da ONC, as provas nos fizeram pensar muito em como iriamos realizar. Em questões de (Ciências) Exatas, por exemplo, que tipo de fórmula iríamos usar ou se era uma questão mais de lógica e como resolvê-las”, explicou ele.

A aluna Ana Carla de Araújo, 18, que concluiu o ensino médio no último ano pelo SESI, revelou sua predileção pela área científica, o que a ajudou a enfrentar o desafio das duas provas. “Apesar de gostar de ciências da natureza, eu tenho dificuldade nessas áreas, então participar foi uma forma de me incentivar a superar esses desafios e fiquei muito feliz, principalmente, porque eu sabia que teria que encarar questões dissertativas, algo ao qual não estava tão acostumada e eu dei o meu melhor e fiquei feliz com o resultado e a experiência”, contou ela.

Araújo agora ressalta que pensa em fazer algum curso superior na área. “Foi uma experiência incrível e eu também me senti muito mais inspirada em aprender mais e agora até tenho intenção de atuar nessa área e eu espero que cada vez mais jovens possam ser inspirados a estudar ciências, pois acredito que esse é o principal caminho para nosso desenvolvimento”, disse ela.

Em novo formato, desde o ano passado, cumprindo os protocolos de segurança por conta da pandemia, a ONC premia com medalhas de ouro, prata, bronze e menção honrosa os estudantes com melhor desempenho em nível nacional, e pode ser realizada em qualquer lugar. Com o novo formato 100% on-line, o aluno faz as provas de forma remota também em casa.

“Resultados como esse em nível nacional incentivam cada vez mais os alunos a participarem e se interessarem pela área científica, ainda mais nesse momento em que a ciência está em evidência por se fazer muito necessária na vida das pessoas em todo o mundo. Vejo que independente da colocação, o nível de conhecimento deles e o desenvolvimento em sala de aula tem rendido bons frutos e isso tem sido destaque também”, disse a professora do SESI, Ana Caroline Duarte, que acompanha os alunos na participação de eventos científicos.

A Olimpíada é uma ação do Programa Ciência na Escola e uma realização de cinco sociedades científicas: a Sociedade Brasileira de Física, Associação Brasileira de Química, Instituto Butantan, Sociedade Astronômica Brasileira e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É também um convite do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) para o estudo aos estudantes do ensino médio e dos 8º e 9º ano do Ensino Fundamental de escolas em todo o Brasil.

Categorias
Notícias

SESI começa ano letivo com ensino 100% remoto

Com acolhida virtual animada, as escolas do Serviço Social da Indústria (SESI/AM) começaram as aulas deste ano, no dia 22, estruturadas para o ensino 100% a distância, e assim manter a segurança e evitar aglomerações nesse período de pandemia. As plataformas on-line e aulas diárias ao vivo são os meios de interação para os alunos e professores nas Escolas SESI, tanto na capital como nos municípios de Iranduba, Itacoatiara e Parintins.

As aulas também ficam gravadas e disponíveis por meio de link para acesso na hora que o aluno quiser. “Nem sempre esse pai e aluno têm disponibilidade de assistir (à aula) ao vivo, então isso tem facilitado muito o ensino para eles, que passam de fato a criar sua rotina diária de estudos, como se estivessem na escola”, disse a gerente da Escola SESI David Nóvoa em Iranduba, Viviane Barroso.

O ambiente virtual de aprendizagem on-line Plurall, do grupo de educação básica Somos Educação, está disponível no Portal SESI de Educação, e com a integração do Sistema de Gestão Escolar (SGE). Algumas ferramentas do Google For Education, como Google Classroom e Meet, além do Microsoft Teams que também são utilizadas para encontros diários ao vivo com os professores e agendamento de provas e atividades.

A Rede SESI de Educação, desde 2020, tem investido em plataformas educacionais, computadores e melhorias na rede sem fio de internet, para trabalhar com mais facilidade e agilidade com as mudanças no ensino. Para o uso das ferramentas na nova metodologia de aprendizagem da plataforma Plurall, os professores do SESI contaram com capacitações remotas feitas pelas equipes do grupo Somos Educação, Agnus Educação Tecnológica e Big Brain Education. 

As aulas virtuais ocorrem tanto para crianças de 1 a 3 anos da creche maternal, da Escola SESI Dr. Francisco Garcia, como para os alunos do ensino fundamental 1 e 2, e do ensino médio, das demais escolas.

“Nossas salas virtuais estão lotadas e está sendo bem positiva essa volta às aulas de forma remota”, destaca a gerente. “Os mais novos, com a educação infantil, por exemplo, são os únicos que estão utilizando o Google Classroom, por onde são enviadas as atividades e orientações”. A gestora também explica que foram formados grupos pelo whatsapp com os pais. Já os mais velhos, com o ensino fundamental 1 em diante, estão com o Portal SESI de Educação, com a ferramenta Plural e o Google Meet”.

Educação de Jovens e Adultos agora on-line

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) do SESI Amazonas também está agora 100% online. Com turmas no ensino fundamental (6º ao 9º Ano) e médio, o aluno desenvolve a formação básica e as competências para uma carreira profissional, com domínio das novas tecnologias educacionais, como Google Classroom, Meet e Microsoft Education.

Os alunos recebem os conteúdos didáticos de segunda a sexta-feira, exceto feriados, participam de lives com os professores para tirar dúvidas e ainda contam com professores plantonistas no horário das aulas – 18h às 21h30. “Atividades, trabalhos escolares, provas e outros métodos avaliativos acontecem de forma remota”, explicou a gerente da Educação de Jovens e Adultos do SESI, Patrícia Bezerra.

O SESI também oferece para o aluno, no ato da matrícula, a opção de escolha pela EJA Profissionalizante, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas), que oferta cursos de qualificação e dupla certificação ao final das aulas.

Categorias
Notícias

Alunos destaques em robótica no SESI são aprovados para ensino técnico do IFAM

Anos dedicados aos estudos da robótica educacional e matemática renderam a três alunos da Escola SESI Padre Francisco Luppino, em Parintins, vagas no ensino médio integrado nos cursos técnicos de Informática e Mecatrônica do Instituto Federal do Amazonas (IFAM), em 2021. Os estudantes aprovados terão formação de base nacional comum do ensino médio em conjunto com a formação técnica profissional, concluindo os três anos do ensino médio com uma profissão.

O gosto pelo ensino da robótica educacional, que integra a grade curricular da Escola SESI Parintins, tem sido decisivo para o aluno Gabriel Monteiro, 14, que sonha cursar engenharia aeronáutica ao concluir o ensino médio. Participante da equipe de robótica da escola Lego Master, o aluno já chegou a ir para competições nacionais, como a do ano passado em São Paulo (SP), representando o Amazonas no Torneio First Lego League (FLL).

O pai de Gabriel, Carlos Monteiro, que é coordenador acadêmico da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) em Parintins, conta que o filho pesquisa muito o assunto – desde as faculdades que ofertam o curso no Brasil até a troca de ideias com profissionais que já atuam na área que pretende cursar -, por isso, escolheu o ensino médio técnico em Informática para agregar mais conhecimento.

“Em Parintins temos poucas opções de cursos para o ensino médio técnico. Ele conversou muito com os professores do SESI sobre a melhor escolha, pediu orientação e juntos acharam que a área de informática seria viável para se aprofundar mais em engenharia”, disse Monteiro, ao destacar a proximidade do filho com a equipe pedagógica, mesmo após a conclusão do ano letivo da escola (9º ano). “Ele mantém contato praticamente semanal com os professores e adora”.

O colega de equipe Fábio Simas Junior, 15, também está entre os aprovados da Escola SESI Parintins para o ensino médio técnico do IFAM no município e na capital. Aprovado em dois processos em áreas técnicas diferentes – Informática, no campus de Parintins e Mecatrônica, no campus Distrito Industrial em Manaus -, o aluno ainda analisa qual irá cursar, mas para o pai, que também se chama Fábio, a aprovação dupla já é motivo de orgulho e fruto de resultado dos estudos diários e incentivos do SESI.

“Quando entrou para estudar no SESI, ele se encantou com a robótica, só que ainda não tinha idade para fazer parte da equipe, além de um dos requisitos para ser membro, ser um aluno nota dez. Com esforço e dedicação, foi convidado a participar e agora tem a robótica como um dos pivôs para a escolha dos cursos”, relatou o pai, ao citar o orgulho da aprovação dupla como fruto da dedicação. “O Fábio é um aluno bastante dedicado ao longo da sua caminhada estudantil e tem conquistado muitos feitos que nos orgulham”.

Conquista da Matemática

Destaque nas olimpíadas nacionais de matemática ao longo dos anos na Escola SESI Parintins, o aluno Gabriel Xavier de Camargo, 14, é um dos aprovados para o ensino médio técnico em 2021. De acordo com a mãe Mônica Xavier, que é professora da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Gabriel é muito estudioso e amante da área. Revela, inclusive, que o filho pensa em cursar Matemática devido a esse incentivo que teve das competições e dentro de sala de aula no SESI.

Para o curso técnico, Gabriel optou pela área de Informática, no campus de Parintins e ficou em 2º lugar em ampla concorrência no processo seletivo, tendo a segunda maior nota de corte entre os alunos inscritos para a área.

“Nós ficamos muito felizes quando vimos o resultado. O Gabriel sempre foi um excelente aluno, muito inteligente.  Nós havíamos visto a nota de corte do ano anterior e esperávamos que ele passasse, mas foi uma surpresa ver a colocação. Acredito que a preparação foi sempre se esforçar e estudar para tirar notas boas e o SESI, de alguma forma, fez parte disso, porque ele estuda desde o terceiro ano lá e gosta dos professores”, relatou ela.

Categorias
Notícias

Alunos do SESI Amazonas na final da Olimpíada Nacional de Ciências

Sete alunos da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa seguem para a última fase da Olimpíada Nacional de Ciências (ONC), em formato on-line no dia 22 de janeiro. A competição destina-se a alunos do ensino médio e do 8º e 9º ano do ensino fundamental de escolas de todo o Brasil. Nessa fase os alunos vão responder 20 questões objetivas, envolvendo áreas como astronomia, biologia, física, história e química.

Em nova modalidade, desde o ano passado, cumprindo os protocolos de segurança por conta da pandemia, a ONC premia com medalhas de ouro, prata, bronze e menção honrosa os estudantes com melhor desempenho em nível nacional, e pode ser realizada em qualquer lugar. Com o novo formato 100% online, o aluno faz as provas de forma remota também em casa.

No último ano, o SESI Amazonas também foi destaque nas Olimpíadas de Matemática, Química e Astronomia. De acordo com a professora Ana Caroline Duarte, é importante motivar os alunos à participação de eventos científicos, principalmente nesse momento em que a ciência se faz muito necessária na vida das pessoas em todo o mundo.

“Participamos de várias Olimpíadas em 2020 e fruto disso tem sido o destaque, até nacionalmente, dos alunos do SESI em cada uma delas”, contou Duarte. Na Olimpíada Canguru de Matemática, o SESI Amazonas teve 35 medalhistas, e cinco premiados na Olímpiada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), realizada no formato virtual em novembro.

Na Olimpíada de Química do Rio de Janeiro, os alunos também confirmaram presença entre os melhores projetos científicos caseiros, com trabalhos expostos no canal oficial da Olimpíada no Youtube. Os experimentos foram realizados pelos alunos do 2º e 3º ano do ensino médio da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa. A mostra virtual “Química em Casa” recebeu três projetos destaques: Xilofone com Copos, Extração do DNA do Morango e Centro Gravitacional do Pet. Todos feitos pelos alunos em casa com auxílio virtual dos professores. Os experimentos são de baixo custo e utilizam materiais de fácil reprodução domiciliar. “Mesmo em meio a pandemia os alunos desafiaram sua criatividade e produziram projetos incríveis, além de praticar estudos de química que acompanham o Novo Ensino Médio, junto com as áreas de física e biologia”, ressaltou a professora.

Protetores da Infância”

Ao encerrarem o ano letivo de 2020, os alunos do SESI, autores do projeto “Protetores da Infância”, ainda entraram na lista de premiados do Desafio Criativos da Escola. A iniciativa integra o Design for Change, movimento global que encoraja crianças e jovens a transformarem suas realidades, reconhecendo-os como protagonistas de suas próprias histórias de mudança. O desafio nacional mobiliza estudantes de todo o país na construção de planos de ação para iniciar uma transformação ou aperfeiçoar uma iniciativa realizada por alunos com apoio de seus educadores.

“Protetores da Infância”, criado pelos alunos do ensino médio do SESI, tem como objetivo orientar crianças e adolescentes, por meio de palestras educativas e atividades lúdicas, sobre como proceder em relação a casos de abuso sexual. Entre os premiados na categoria “Igualdade”, os alunos do SESI se tornaram embaixadores do programa e ainda terão auxílio financeiro para viabilizar a ideia do projeto.

Categorias
Notícias

SESI orienta pais e alunos sobre o Novo Ensino Médio

Para apresentar aos pais e alunos o Novo Ensino Médio, tirar dúvidas e ouvir sugestões, a área de Educação do Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas) promoveu, nesta quinta-feira, 03, uma conversa, virtual com alguns pais, e presencial com alunos já matriculados ou com intenção de se matricular na nova modalidade para o próximo ano letivo, quando o SESI começa para valer a parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) na oferta do combo Ensino Médio + Curso Técnico.   

As escolas da rede pública e privada de todo o país têm até 2022 para se adaptar e implementar a reforma do Ensino Médio, conforme alteração na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). O SESI, que ofereceu já em 2019 as primeiras turmas com base na reforma, passa a oferecer exclusivamente a nova modalidade de ensino médio em 2021, antecipando-se à legislação.

De acordo com a professora Ana Karina Holanda, gerente da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, onde o Novo Ensino Médio será ofertado, o estudante vai dispor de uma metodologia muito mais dinâmica, flexível e criativa, com foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional. No ano que vem o SESI, segundo ela, já coloca à disposição do mercado de trabalho os primeiros 63 alunos com certificação pelo Novo Ensino Médio.    

Além dos cursos técnicos oferecidos pelo SENAI, a carga horária mínima anual do ensino médio será ampliada de 800h para 1.000h, com nova organização curricular que deverá contemplar a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a oferta de diferentes itinerários formativos, com foco em áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional. Ana Karina explicou que, na nova estrutura curricular os alunos possuem autonomia para as escolhas das áreas de afinidade e concluem o ensino médio junto com o curso técnico.

Depois de apresentar, em vídeo, as duas Escolas onde serão ministrados os cursos técnicos do Novo Ensino Médio – Escola SENAI Antônio Simões, no Distrito Industrial, que oferece o técnico em mecatrônica e o técnico em rede de computadores, e Escola SENAI Waldemiro Lustoza, localizada no bairro Cachoeirinha, que habilita o técnico em mecânica – a apresentadora passou a palavra ao instrutor Silvano Batista, da área de automação e mecatrônica da ESAS.

Em poucos minutos, Batista conseguiu dar aos pais e alunos uma ideia do resultado prático dessa formação para o mundo do trabalho. Segundo ele, um técnico de mecatrônica, que vem a ser o cruzamento da mecânica com eletrônica – ou sistemas eletromecânicos automatizados controlados por computador – é bastante valorizado no mercado de trabalho atual, situado numa faixa salarial de R$ 6 mil, assim como o técnico de rede de computadores, que está na faixa R$ 4 mil a R$ 5 mil.

Os alunos tiveram oportunidade de assistir ao vivo algumas experiências levadas por ex-alunos e professores nos estudos de química que acompanham o Novo Ensino Médio, junto com os estudos de física e biologia. A ex-aluna Noemia Duarte mostrou as “experiências incríveis” que teve. “Os projetos que vocês vão poder realizar vão abrir portas para vocês não só aqui no Brasil, mas em qualquer lugar em que decidam morar, até nos Estados Unidos”, disse ela.

Uma das experiências apresentadas fez parte dos projetos inscritos pelos professores do SESI na Olimpíada de Química do Rio de Janeiro deste ano. “Além de olimpíadas, com o Novo Ensino Médio vocês vão poder participar de eventos científicos até maiores”, disse Noemia. Na sequência, foram entregues os certificados aos alunos do SESI Amazonas que participaram dos projetos inscritos na Olimpíada.

Ao falar das vantagens, até financeiras, da iniciação científica, o professor Jefferson Ítalo Almeida Silva, que atua no ensino fundamental da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, disse que os futuros alunos do Novo Ensino Médio devem se esforçar para, quando estiverem aptos, entrar numa universidade pública, onde vão poder exercitar o que aprenderem no SESI e no SENAI.

“Vocês vão usar a linguagem científica para explicar o simples”, disse ele, e contou a respeito de um projeto científico pessoal com o qual ganhou um prêmio em dinheiro: provar por A mais B que o asfalto de Manaus é ruim. O projeto e seu resultado, que arrancaram risos da plateia, foram usados pelo professor como exemplo de uma ideia simples valorizada pela linguagem científica.

Básico e profissional              

Desenvolvido conjuntamente pelo SESI e pelo SENAI, o projeto de cursos do Novo Ensino Médio divide 3.000 horas em 1.800 de educação básica e 1.200 para formação profissional, de acordo com a nova grade proposta pelo MEC, tudo em um único turno, pela manhã: o 1º ano é reservado para formação geral (800h) + iniciação para o mundo do trabalho (200h), com um dia na semana de aulas no SENAI. O 2º ano: formação geral para a área industrial (600h) + módulo integrador (400h), com dois dias no SENAI; o 3º ano: formação geral para a habilitação técnica (400h) + habilitação técnica no curso escolhido (600h) e três dias no SENAI.

As matérias tradicionais continuam existindo no Novo Ensino Médio, mas são apresentadas em um novo contexto, divididas em cinco grandes áreas do conhecimento: Linguagens e suas Tecnologias (conteúdos de língua portuguesa, literatura, língua estrangeira, artes, educação física e tecnologia da informação e comunicação); Ciências Humanas e suas Tecnologias (história, geografia, filosofia e sociologia); Ciências da Natureza e suas Tecnologias (química, física e biologia); Matemática e suas Tecnologias; e Formação técnica e profissional (cursos técnicos em parceria com o SENAI).

No SENAI, o ensino será dividido em três módulos: no 1º ano, os alunos têm contato com o mundo do trabalho, que estimula o autoconhecimento. No 2º ano, cursam o módulo básico introdutório, para que comecem a ter contato com áreas do curso escolhido, trabalhando os fundamentos iniciais. Para concluir a certificação, no 3º ano, os alunos têm o foco na ocupação profissional específica. As aulas da parte prática e teórica dos cursos técnicos são feitas in loco, utilizando toda a infraestrutura e os laboratórios dos cursos no SENAI.

Ao final do 3º ano, o estudante receberá certificação única do ensino médio com formação técnica profissional SESI/SENAI. As duas formações e aprovações dependerão uma da outra, atendendo às exigências da legislação. Todo esse modelo é ideal para que o jovem estabeleça relação entre teoria e prática, além de se preparar para o ensino superior e os desafios do mundo do trabalho.

Material didático

Em 2021, as escolas da Rede SESI começam com o Novo Sistema Estruturado de Ensino, alinhado com a BNCC, utilizando material didático próprio e autoral desde a educação infantil até a Educação de Jovens e Adultos (EJA), passando também pelo ensino fundamental e o Novo Ensino Médio.

“A proposta pedagógica para essa estrutura de ensino é fazer com que no lugar das antigas provas teóricas, desestimulantes, exista um novo conjunto de avaliações posicionando o aluno como protagonista do aprendizado”, disse a gerente Ana Karina. Os conceitos, segundo ela, são gerados com base na resolução de problemas: produção autoral, projetos interdisciplinares, debates, teste de progresso e simulados.

Categorias
Notícias

Urologista alerta sobre doenças na infância que podem evoluir para câncer

Um alerta sobre os cuidados que se deve ter na adolescência para problemas de saúde, nos meninos, como fimose, ectopia testicular e dilatação renal, foi dado pelo urologista e especialista em urologia infantil, Petrus Oliva, em palestra para alunos da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, no SESI Clube do Trabalhador. Alguns dos problemas vêm da infância e podem evoluir na vida adulta para algum tipo de câncer ou até a perda do rim.

Para encerrar a campanha “Novembro Azul”, voltada para a saúde do homem em qualquer idade, o setor de Enfermagem do SESI, junto com o médico Petrus Oliva, reuniu alunos do Ensino Médio e do Ensino Fundamental 2 (6º ao 9º ano) para falar de problemas que podem ser tratados precocemente. De acordo com o urologista, a fimose, por exemplo, quando o prepúcio não permite a exposição completa da glande (cabeça do pênis), é o principal causador do câncer de pênis em jovens a partir dos 20 anos de idade.

“Daí a necessidade dessa conversa precoce sobre o assunto. Eu tive a iniciativa de criar o ‘novembrinho azul’ para trazer aos jovens uma atenção maior para algumas doenças e condições que acontecem na infância e na adolescência, e que têm repercussões sérias e graves na vida adulta, como a fimose, que tem relação com o câncer de pênis, a ectopia testicular, que tem relação com o câncer de testículo e a dilatação renal, que a criança pode nascer com ela e pode levar, com o passar do tempo, à perda do rim”, explicou ele.

Oliva ressalta que a necessidade do tratamento precoce em qualquer tipo de doença, principalmente o câncer, pode aumentar as chances de cura. O especialista alerta ainda que os problemas ligados à próstata representam o 2º tipo de câncer que mais mata homens no Brasil, afetando um a cada seis homens. As chances de cura, se o câncer for diagnosticado no início, chegam a 95%.

“Quase 50% dos homens brasileiros nunca foram ao urologista e, se colocarmos isso para nível local isso sobe para 60% dos homens no Amazonas. É importante que desde cedo vocês tenham essa visão de que é necessário se precaver e cuidar da saúde. Incentivem seus pais, tios, irmãos e avós também, vimos aqui que para cada faixa etária temos vários tipos de doenças que podem se desenvolver e por isso o reforço na prevenção e nos cuidados”, disse o especialista.

O SESI trabalha ao longo dos meses, nas escolas, temáticas junto com a equipe de enfermagem e especialistas das áreas abordadas. Campanhas, como Novembro Azul, Outubro Rosa e Setembro Amarelo fazem parte da programação das Escolas SESI não só para os alunos, mas, de acordo com a gerente da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, Ana Karina Holanda, é trabalhado a temática também com os funcionários como forma de prevenção e cuidados com a saúde. “Precisamos falar sobre saúde, ainda mais nesse período de pandemia”, alertou.

Categorias
Notícias

Pedagoga do SESI explica o que você precisa saber sobre o Novo Ensino Médio

As escolas da rede pública e privada têm até 2022 para se adaptar e implementar a reforma do Novo Ensino Médio, conforme alteração na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), que altera a carga mínima anual no ensino médio, ampliando-a para 1000h, com nova organização curricular que deverá contemplar a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a oferta de diferentes itinerários formativos, com foco em áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional.

O Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas) antecipa-se e já formará em 2021 sua primeira turma, no terceiro ano de implementação do Novo Ensino Médio. De acordo com a gerente da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, Ana Karina Holanda, na nova estrutura curricular os alunos possuem autonomia para as escolhas nas áreas de afinidade e concluem o ensino médio junto com o curso técnico ofertado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). As Escolas SESI já estão com matrículas abertas para 2021.

Formada há mais de 19 anos pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM), em pedagogia, Ana Karina Holanda tem especialização em Supervisão Educacional e em Psicopedagogia, sendo esta pela Instituição de Ensino Superior Martha Falcão.

O que é o Novo Ensino Médio?

Ana Karina- A mudança na estrutura do Novo Ensino Médio SESI/SENAI amplia a carga horária mínima anual das escolas de 800h para 1.000h. O estudante cursa o Ensino Médio + Curso Técnico com uma metodologia muito mais dinâmica, flexível e criativa, com foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional.

Como funciona?

AK- O currículo do Novo Ensino Médio, com itinerários formativos, busca a centralidade em competências e habilidades/capacidades, contextualizadas na realidade do mundo atual e se propõe a superar a tradição pautada em uma grade de conteúdos enciclopédicos descontextualizados. Assim, o projeto pedagógico contempla as seguintes dimensões de formação: áreas de conhecimento; competências e habilidades; objetos de conhecimento; metodologias de ensino com ênfase em projetos e práticas de pesquisa e de protagonismo.

E as disciplinas tradicionais continuam no currículo?

AK – Sim, as matérias tradicionais de física, química e biologia continuam existindo, mas são apresentadas em um novo contexto para os alunos, dividido em cinco grandes áreas do conhecimento: Linguagens e suas Tecnologias (conteúdos de língua portuguesa, literatura, língua estrangeira, artes, educação física e tecnologia da informação e comunicação); Ciências Humanas e suas Tecnologias (história, geografia, filosofia e sociologia); Ciências da Natureza e suas Tecnologias (química, física e biologia); Matemática e suas Tecnologias; e Formação técnica e profissional (cursos técnicos em parceria com o SENAI).

Como ficou dividida essa carga horária nos três anos do Ensino Médio?

AK- O Projeto de Cursos para Itinerários do Novo Ensino Médio, desenvolvido conjuntamente pelo SESI e pelo SENAI, divide 3.000 horas de Ensino Médio, em 1.800 horas de educação básica e 1.200 horas para formação profissional, de acordo com a nova grade proposta pelo MEC, sendo tudo em um único turno pela manhã: O 1º ano é reservado para Formação Geral (800h) + Iniciação para o Mundo do Trabalho (200h), com um dia na semana com aulas no SENAI. O 2º ano para Formação Geral para a Área Industrial (600h) + Módulo Integrador (400h), com dois dias no SENAI; o 3º ano, com Formação Geral para a Habilitação Técnica (400h) + Habilitação Técnica no curso escolhido (600h) e três dias no SENAI.

Quais cursos técnicos o aluno tem para cursar em parceria com o SENAI?

AK- Para 2021 a escola SESI/ SENAI irá oferecer as opções de cursos técnicos de Eletrotécnica, Mecânica e Redes de Computadores. O aluno já se inicia no 1º ano do Ensino Médio, com o módulo do Mundo do Trabalho, que é uma estratégia adotada pelo SENAI para assegurar que os estudantes façam suas opções por um itinerário, fundadas no autoconhecimento; na visão contextualizada do mundo do trabalho; e no estabelecimento de um projeto de vida e carreira realista.

Como funciona a parte técnica do SENAI?

AK- Dividido em três módulos, os alunos no 1º ano do ensino médio têm contato com o mundo do trabalho, que estimula o autoconhecimento. No 2º ano, cursam o módulo Básico Introdutório, para que comecem a ter contato com áreas do curso escolhido, trabalhando os fundamentos iniciais. Para concluir a certificação, no 3º ano, os alunos têm o foco na ocupação profissional específica. As aulas da parte prática e teórica dos cursos técnicos são feitas in loco, utilizando toda a infraestrutura e os laboratórios dos cursos no SENAI.

Qual o material didático utilizado no ensino?

AK- As escolas da Rede SESI começam em 2021 com o Novo Sistema Estruturado de Ensino, alinhado com a BNCC, utilizando material didático próprio e autoral desde a educação infantil até o Ensino de Jovens e Adultos (EJA), passando também pelo ensino fundamental e o Novo Ensino Médio.

A proposta pedagógica de ensino para essa estrutura de ensino é fazer com que no lugar das antigas provas teóricas, desestimulantes, exista um novo conjunto de avaliações posicionando o aluno como protagonista do aprendizado. Os conceitos são gerados com base na resolução de problemas: produção autoral, projetos interdisciplinares, debates, teste de progresso e simulados.

O aluno encerra o Ensino Médio com dupla certificação?

AK- Ao final do 3º ano, o estudante receberá certificação única do ensino médio com formação técnica profissional SESI/SENAI. As duas formações e aprovações dependerão uma da outra, atendendo às exigências da legislação. Todo esse modelo é ideal para que o jovem estabeleça relação entre teoria e prática, além de se preparar para o ensino superior e os desafios do mundo do trabalho.

Como fica a relação Novo Ensino Médio e os vestibulares Enem, Macro, Sis e Psc?

AK- A reforma do Novo Ensino médio não trata especificamente de nenhum dos vestibulares, sendo assim, as alterações da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional não interferem diretamente nos processos seletivos das universidades.

Quando se tornará obrigatório nas escolas?

AK- De acordo com a Lei nº 13.415/2017, que estabeleceu uma mudança na estrutura do ensino médio, as escolas da rede pública e privada têm até 2022 para se adaptar e implementar a reforma do Novo Ensino Médio nas instituições.

Quais são os benefícios para os estudantes com a nova organização curricular?

AK- O aluno já sai do Ensino Médio com uma profissão. Por meio desse novo currículo, a parceria entre SESI e SENAI objetiva que seus estudantes desenvolvam competências e habilidades necessárias ao mundo do trabalho, nos aspectos sociais, cognitivos e científicos, para que se preparem para as profissões existentes e reflitam sobre campos de atuação profissional e transformações das carreiras especialmente para a indústria nacional e internacional. O Novo Ensino Médio também proporciona aos adolescentes e jovens a construção de uma vida social, cultural, tecnológica que permita o seu ingresso no mundo do trabalho e possibilite a continuidade dos seus estudos no nível superior.

Qual Escola SESI oferta o Novo Ensino Médio?

AK- O SESI oferece o Novo Ensino Médio na Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, localizada na Av. Cosme Ferreira, 3295, Aleixo, telefone 98499-1484 ou 98499-1559. Em 2021, o SESI já vai para o terceiro ano de atuação com a nova estrutura que irá formar 63 alunos com a certificação do Novo Ensino Médio.

Categorias
Notícias

SESI realiza plantão de matrículas neste sábado

As Escolas SESI da capital e do interior realizam neste sábado, 14, e no dia 28, das 8h às 12h, plantão de matrículas para o ano letivo 2021. Com visitas agendadas previamente, no telefone (92) 3234-0610 ou pelo WhatsApp (92) 98406-2798, os interessados podem conhecer mais sobre a infraestrutura das escolas, por meio de um tour guiado com a equipe técnica, além de receber mais informações sobre os projetos desenvolvidos pela Rede SESI de Educação.

Com matrículas abertas para 2021, o SESI atende com educação infantil (creche e pré-escola), ensino fundamental, do 1º ao 9º ano, e com o Novo Ensino Médio Profissionalizante, do 1º ao 3º ano. Esta modalidade conta com formação técnica pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas), onde os alunos poderão escolher entre os cursos técnicos em eletroeletrônica, mecânica ou em rede de computadores.

Para o próximo ano, o SESI contará com novo sistema estruturado de ensino, utilizando material autoral reformulado e novas matrizes curriculares, o que significa dar ao aluno a perspectiva de um futuro cada vez mais tecnológico. Alinhadas com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), as mudanças vão além do material didático próprio, formulado pelos professores da Rede SESI do Brasil, com auxílio de consultores, mas reúne metodologias ativas para que seja atual, aplicável e eficaz na construção do conhecimento dos estudantes.

Escolas que estarão no plantão de matrículas:

Em Manaus:

Escola SESI Dr. Francisco Garcia

Endereço: Av. Governador Danilo Areosa, 1531, no Distrito IndustriaI. Turmas em tempo integral e parcial para educação infantil: creche e berçário (a partir de 4 meses), creche maternal (1 a 3 anos); pré-escola (1º e 2º períodos – 4 e 5 anos) e ensino fundamental I (1º ao 5º ano).

Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa

Endereço: Alameda Cosme Ferreira, 3295, Aleixo. Ensino fundamental I e II (1º ao 9º ano), ensino médio profissionalizante (1º ao 3º ano).

Em Iranduba:

Escola SESI David Nóvoa Alvarez

Endereço: Rodovia Manoel Urbano, km 0, s/n, em Iranduba (AM). Ensino fundamental I (1º ao 5º ano).

Em Itacoatiara:

Escola SESI Abrahão Sabbá

Endereço: Rua Nossa Senhora do Rosário, 3840 – Jauary II, Itacoatiara (AM). Ensino fundamental I e II (1º ao 9º ano).

Em Parintins:

Escola SESI Padre Francisco Luppino

Endereço: Rodovia Odovaldo Ferreira Novo, s/n, Djard Vieira, em Parintins (AM). Ensino fundamental I e II (1º ao 9º ano).

Categorias
Notícias

Escolas SESI iniciam pré-matrícula online

Para garantir sua vaga nas Escolas SESI do Amazonas, os pais e responsáveis já podem realizar a pré-matrícula online, sem precisar sair de casa, por meio do site escolasesiam.com.br. Após preencher o formulário, a equipe do SESI entrará em contato para finalizar a intenção de matrícula. A Rede SESI de Educação oferece educação infantil (creche e pré-escola), ensino fundamental do 1º ao 9º ano, e o Novo Ensino Médio Profissionalizante, do 1º ao 3º ano.

Pelo site é possível realizar não só a pré-matrícula, mas conhecer a parte institucional, metodologia, diferenciais e estrutura das Escolas SESI da capital e do interior, além de saber mais sobre as plataformas utilizadas pelos alunos, professores, coordenadores e pais. O ambiente virtual de aprendizagem Plurall, por exemplo, já faz parte da rotina escolar e pode ser acessado por estudantes e professores a qualquer hora e em qualquer lugar, disponibilizando listas de exercícios, vídeos, materiais didáticos e tutores para tirar dúvidas.

A Microsoft também é uma grande aliada no desenvolvimento dos alunos do SESI com o Minecraft for Education, jogo de mundo aberto que promove a criatividade, colaboração e resolução de problemas em um ambiente imerso onde o único limite é a imaginação, sendo uma ferramenta de aprendizagem onde o professor pode trabalhar qualquer temática.

O ensino é pautado pela Metodologia STEAM, que agrega conhecimentos nas áreas de Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática. É uma metodologia integrada e baseada em projetos para formar pessoas com diversos conhecimentos, desenvolver valores, juntamente com os conteúdos abordados e preparar alunos e cidadãos para os desafios do futuro incluindo a educação tecnológica na grade curricular, sendo o SESI o operador oficial do Torneio de Robótica First Lego League (FLL).

Para o Novo Ensino Médio Profissionalizante do SESI, que conta com a formação técnica pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), os alunos podem escolher, entre os cursos, técnicos em eletroeletrônica, mecânica e redes de computadores. Com auxilio da plataforma Geekie, os estudantes se preparam para os vestibulares com conteúdos digitais atualizados, plano de estudo personalizado, recursos digitais de fixação e revisão, incluindo realização de simulados.

Conheça as escolas da Rede SESI:

Em Manaus:

Escola SESI Dr. Francisco Garcia

Localizada na Av. Governador Danilo Areosa, 1531, no Distrito IndustriaI. Oferece turmas em tempo integral e parcial para educação infantil: creche e berçário (a partir de 4 meses), creche maternal (1 a 3 anos); pré-escola (1º e 2º períodos – 4 e 5 anos) e ensino fundamental I (1º ao 5º ano).

Contato Whatsapp: (92) 98499-1074.

E-mail: escolasesi.distrito@sesiam.org.br

Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa

Localizada na Alameda Cosme Ferreira, 3295, Aleixo, atende com ensino fundamental I e II (1º ao 9º ano), ensino médio profissionalizante (1º ao 3º ano) e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Contato Whatsapp: (92) 98499-1484/ 98499-1559.

E-mail: escolasesi.aleixo@sesiam.org.br

Em Iranduba:

Escola SESI David Nóvoa Alvarez

Localizada na Rodovia Manoel Urbano, km 0, s/n, em Iranduba (AM). Oferece ensino fundamental I (1º ao 5º ano).

Contato Whatsapp: (92) 98499-6235.

E-mail: escolasesi.iranduba@sesiam.org.br

Em Itacoatiara:

Escola SESI Abrahão Sabbá

Localizada na Rua Nossa Senhora do Rosário, 3840 – Jauary II, Itacoatiara (AM). Atende em ensino fundamental I e II (1º ao 9º ano).

Contato Whatsapp: (92) 98499-5898.

E-mail: escolasesi.itacoatiara@sesiam.org.br

Em Parintins:

Escola SESI Padre Francisco Luppino

Localizada na Rodovia Odovaldo Ferreira Novo, s/n, Djard Vieira, em Parintins (AM). Oferece ensino fundamental I e II (1º ao 9º ano).

Contato Whatsapp: (92) 98405-6693

E-mail: escolasesi.parintins@sesiam.org.br