Categorias
Notícias

Estudantes amazonenses são premiadas em etapa nacional de torneio de robótica

Equipe da Escola SESI Abrahão Sabbá, no município de Itacoatiara, recebeu neste sábado, 26, o prêmio “Reconhecimento de Conquista” do Festival SESI de Robótica, maior competição de robótica educacional brasileira. O prêmio foi concedido em cerimônia on-line por juízes da competição F1 in Schools, que desafia alunos a criar uma escuderia de Fórmula 1 que compete pelo carro mais rápido das provas.

A ‘Apuema Korê’, formada por alunas do 9º ano do ensino fundamental, competiu com 31 equipes de todo o país, pelo segundo ano consecutivo, na modalidade que reproduz desafios reais das corridas de Fórmula 1, estimulando os jovens a criarem escuderias para a disputa nas pistas.

Em edições on-line, os competidores formaram times de três a seis integrantes e montaram uma escuderia que funciona como uma pequena empresa, com etapas desde o gerenciamento, marketing, design, engenharia, ao plano de negócios.

“Para essa temporada, a escuderia ‘Apuema Korê’ reformulou a gestão do projeto, definindo novos valores, como diversidade, inovação, responsabilidade e qualidade. Ao longo das avaliações on-line, as alunas foram muito elogiadas pelos juízes e se emocionaram a cada etapa. Tivemos um reconhecimento merecido após dois meses de intenso trabalho e dedicação”, disse o professor do SESI Amazonas e técnico da equipe, Genarde Macedo.

Para evidenciar os valores, as alunas Ana Clara, Thaynara e Renata utilizaram sistemas de gerenciamento de projetos e colaboração, em empreendedorismo, investiram na modificação da identidade visual da equipe, com a criação de nova logomarca com o predomínio da cor verde, que representa a biodiversidade amazônica, além do desenvolverem o carro em miniatura, que utiliza softwares de design 3D e simulações aerodinâmicas.

“Todo esse trabalho foi avaliado por juízes de diferentes áreas, como engenheiros, assistentes sociais, administradores, entre outros”, explicou Macedo, ao acrescentar que neste ano a escuderia Apuema Korê optou por um projeto social, com foco no desenvolvimento de tecnologias sustentáveis e acessíveis, voltado para beneficiar as comunidades ribeirinhas do Amazonas. “Para isso foi planejado o desenvolvimento de uma tela mosqueteira magnética que fosse mais prática de utilizar e de baixo custo”, relatou o professor.

A participação das alunas no Festival SESI de Robótica teve orientação dos professores da Escola SESI Itacoatiara e técnicos da escuderia, Genarde Macedo e Nicanor Bueno, e passou por um cronograma de reuniões e encontros presenciais e on-line, e depois construído um portfolio para registro. “Graças a doação das alunas em todas as etapas conseguimos esse prêmio do reconhecimento dos juízes, e estamos muito felizes”, relatou ele. 

Categorias
Notícias

Alunos do SESI participam da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica

Quarenta e oito alunos da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa participam da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e da Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), em formato presencial na escola e/ou virtual com provas e atividades práticas de astronomia, astronáutica e ciências afins. A competição é realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB), e no último ano rendeu cinco medalhas de bronze para os alunos do SESI Amazonas.

Os competidores do SESI responderam as provas on-line da OBA sobre matemática, física e astronomia, e também desenvolveram foguetes para a mostra, utilizando duas ou mais garrafas pets, além de mistura usada como combustível, que uniu vinagre com concentração de 4% de ácido acético e bicarbonato de sódio (puro ou contido no fermento em pó). O resultado da premiação será divulgado em 30 de julho na página oficial da OBA.

“Os alunos se desafiaram tanto nas provas on-line, que reuniram assuntos como velocidade e espaço, leis gravitacionais, além de atividades práticas de astronomia e até produção de fato de um foguete para a mostra, com materiais recicláveis e para ser lançado a maior distância possível”, explicou a professora do SESI, Ana Caroline Duarte.

Do eixo de Ciências da Natureza, os professores do SESI Amazonas foram os responsáveis pela coordenação dos lançamentos dos foguetes reais desenvolvidos pelos alunos e registraram medição em número inteiro de metros do alcance obtido pelos foguetes, do ponto de lançamento até onde parou o foguete. Os lançamentos podiam ser feitos por alunos individualmente ou por equipes de no máximo três alunos.

As provas online são compatíveis com os assuntos abordados nos livros didáticos do ensino fundamental e médio e reúnem ao todo sete perguntas de astronomia e mais três de astronáutica. “O conteúdo das provas divide-se por níveis, e o SESI participa com 48 alunos em diferentes modalidades”, relatou a professora.

Os alunos da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa também estão participando da 2ª fase da Olimpíada Brasileira de Satélites e aguardam seus kits que chegarão na próxima semana, com nove sensores disponíveis para construção, programação e teste do satélite. Caso sejam aprovados, vão para as etapas regionais e nacionais de lançamento, encerrando a participação com exposição dos resultados. Assim como na OBA, as equipes seguem na competição 100% on-line com participantes de todo o Brasil.

Categorias
Notícias

Equipes do SESI passam para 2ª fase da Olimpíada Brasileira de Satélites

Alunos do Novo Ensino Médio da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, autores de projetos inovadores, estão classificados para a 2ª fase da Olimpíada Brasileira de Satélites, criada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) em conjunto com a Agência Espacial Brasileira e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, organizada também pela Universidade Federal de São Carlos e a USP (Universidade de São Paulo).

A olimpíada científica em nível nacional despertou nos alunos do 1º ano do Novo Ensino Médio do SESI Amazonas o interesse em planejar, construir e programar um satélite, resultando no seu lançamento e exposição na última fase da competição. Divididos em três equipes, os alunos criaram projetos com uso de satélites que propõem soluções desde a comunicação entre comunidades ribeirinhas ao monitoramento dos rios.

“Trouxemos esse desafio para os alunos do ensino médio, para que não só na teoria eles aprendam e despertem o interesse por ciência e tecnologia, mas também possam se desafiar na prática, ao construir pequenos satélites capazes de executar missões reais e melhorar a realidade local, a partir das suas ideias, dos seus planejamentos e programações”, disse a professora do SESI, Ana Caroline Duarte.

Comunicação radioamadora

A equipe Curumins, formada por alunos da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, desenvolveu o projeto para comunicação radioamadora entre as comunidades ribeirinhas do estado, pensando principalmente no suporte para as ações de socorro humanitário. Com a ideia, cada comunidade terá o seu rádio/antena e por meio de frequências enviadas via satélite, criadas pelos alunos, será gerada uma conexão para aquela comunidade e município.

“Ao estabelecer a comunicação radioamadora poderíamos otimizar o tempo, mobilizar ajuda e principalmente monitorar necessidade de outras comunidades e, para isso, ao estabelecer um meio de comunicação entre comunidades próximas, elas poderiam se ajudar, trazendo um suporte com mais rapidez”, explicou a aluna do SESI e integrante da equipe, Emily Brito.

Monitoramento dos rios no Amazonas

Pelo SESI Amazonas também estão classificadas as equipes Olhos de Iara e Sirius, que apresentaram melhorias para os rios do Amazonas. O primeiro projeto busca monitorar as manchas de óleo presentes nas águas e também auxiliar no combate a degradação dos rios e diminuir assim os impactos causados ao meio ambiente.

“Pensamos nessa ideia de preservar os rios, baseados na ocorrência de grande quantidade de óleo bruto na costa brasileira (no Nordeste) em 2019, noticiada entre agosto e setembro. Estudamos e vimos que o desastre poderia ter sido minimizado com o uso de satélite que poderia detectar mais cedo e impedir a extensão dos danos causados”, relatou Júlia Costa, aluna do 1º ano do Ensino Médio do SESI e integrante da equipe Olhos de Iara.

O monitoramento da temperatura das águas também faz parte das problemáticas levantadas pelos alunos da equipe Sirius. A experiência coleta e transmite informações para uso em modelos matemáticos de previsão. Assim, os alunos medem e monitoram a temperatura do rio Amazonas e seus afluentes com o uso do satélite, principalmente em locais desmatados, onde a troca de calor se torna mais intensa e eleva a temperatura da região, impactando a vida dos ribeirinhos.

“Com o monitoramento da temperatura do rio é possível também estudar as espécies e possíveis impactos que possam surgir nelas através de mudanças de ambientes, portanto, o estudo e o monitoramento das temperaturas dos rios são de extrema importância tanto para os ecossistemas quanto para os seres vivos”, ressaltou a aluna Melissa Ramos, da equipe Sirius.

Os alunos da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, agora na 2ª fase da Olimpíada Brasileira de Satélites, aguardam seus kits com nove sensores disponíveis para construção, programação e teste do satélite. Caso sejam aprovados, vão para as etapas regionais e nacionais de lançamento, encerrando a participação com exposição dos resultados. Coordenadas pelos professores do eixo de Ciências da Natureza, as equipes seguem na competição 100% on-line com equipes de todo o Brasil.

Categorias
Notícias

Alunos do SESI doam mais de 300 livros infanto-juvenis para Lar Batista Janell Doyle

Com o projeto chamado “Biblioteca sem Fronteiras”, alunos da Equipe Team Prodixy da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, doaram 319 livros infanto-juvenis nesta semana para o Lar Batista Janell Doyle, em Manaus, instituição que atende crianças em situação de risco e abandono. A ideia desenvolvida pela equipe que compete nos torneios de robótica foi montar uma biblioteca para uso das crianças no local.

“O intuito desse projeto é justamente estimular a leitura nos jovens, porque principalmente a nossa geração muitas vezes não tem o hábito da leitura, e se a gente com esse projeto conseguir, de alguma forma, estimular crianças e adolescentes a terem esse hábito, só montando uma biblioteca com a arrecadação que fizemos de forma rápida, já é importante e conseguimos impactar muitas pessoas”, contou a aluna finalista do Novo Ensino Médio do SESI e integrante da equipe Team Prodixy, Valeska Mendes.

O Lar Batista Janell Doyle, localizado no bairro Mauazinho, atende 29 crianças no serviço interno e mais 10 no acolhimento familiar. De acordo com a assistente social do abrigo, Rosiane Menezes, os livros doados serão destinados às crianças que moram no abrigo e participam do projeto de leitura na brinquedoteca do espaço.

“Criamos um projeto com leitura de livros, toda terça-feira, em uma sala dentro do abrigo, para que as crianças internas possam ter uma hora destinada a leitura, de acordo com a idade. Por conta disso, precisávamos de acervo para oferecer as crianças, e a doação do SESI foi de Deus mesmo, porque veio justamente na hora que mais precisávamos”, disse a assistente social, ao acrescentar que depois da doação feita pelos alunos SESI o projeto já começou com adesão significativa dos jovens.

O local poderá atender com os livros também quatro tipos de serviços oferecidos no Lar Batista: o abrigo institucional, em que as crianças ficam internas por seis meses morando no abrigo; serviço de acolhimento familiar, em que os jovens continuam dentro de casa com a família, porém com o atendimento e acompanhamento do serviço multidisciplinar; o centro de convivência, que é ofertado para a comunidade do bairro, além do serviço de abordagem para moradores de rua e trabalho infantil.

“As crianças vão contar agora com mais de 300 livros para leitura e aprendizado”, ressaltou Menezes. Com os livros doados pelos alunos da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, a Equipe Team Prodixy foi ao abrigo montar a estante contendo os livros infanto-juvenis. “Um livro é capaz de mudar a vida de uma pessoa, então se a gente conseguir isso, montando essa biblioteca para eles já é ótimo”, relatou a líder da equipe, Valeska Mendes.

Participantes do torneio nacional de robótica First Tech Challenge (FTC), a ser realizado no próximo dia 29 em formato 100% online, os alunos atendem uma das seis categorias de avaliação da competição, prescritas em um caderno de engenharia, em que precisam “conectar” novos jovens no conhecimento Steam e inspirar a sociedade a consumir ciência e tecnologia, por meio de trabalhos voluntários e outras estratégias criadas pelos participantes.

Vencedora na última edição nacional da FTC em São Paulo, a equipe da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa conquistou o prêmio na temporada, de “Aliança Vencedora”, ao cumprir dentro do tempo as missões na arena do FTC, a partir da construção de robôs autônomos. A equipe também conquistou o novo prêmio da temporada, o “Dean’s List”, que classifica para o World Festival, em Houston, Texas, nos Estados Unidos.

Categorias
Notícias

Equipe de Vilhena é campeã da etapa Norte do Torneio SESI de Robótica on-line

A equipe da Escola SESI Centro Educacional Isolina Ruttmann, Elev3r, é a grande vencedora do Torneio de Robótica FIRST Lego League (FLL) – Etapa Regional Norte, realizado ontem, 15, em transmissão ao vivo no canal do Youtube do SESI Amazonas pelo link https://www.youtube.com/SESIAmazonas. Com sábado recheado de atividades e desafios de robótica, as equipes participantes reuniram alunos de Manaus, Iranduba, Itacoatiara, Parintins, Manacapuru, e também de Boa Vista (RR) e Vilhena (RO).

Em competição acirrada entre as 16 equipes participantes do torneio 100% on-line, a veterana Elev3r apresentou a melhor avaliação em todos os quesitos da competição: Desafio/ Design do Robô, no Projeto de Pesquisa e na categoria Core Values (valores fundamentais), e conquistou o “Champion’s Award” (prêmio da campeã). O 2º e 3º lugar ficaram, respectivamente, com as equipes Robóticos, da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, e a Black and White, da Escola SESI Dr. Francisco Garcia, ambas de Manaus.

A plateia virtual formada pelos alunos de escolas públicas e particulares de toda a região Norte foi a responsável pela animação durante todo o evento. A temática do torneio deste ano desafiou os jovens a criarem soluções com ideias inovadoras voltadas para a prática de exercícios físicos, competições e brincadeiras com foco na qualidade de vida e na realidade atual. Os alunos trouxeram projetos para resolver o problema do sedentarismo, além de construírem robôs autônomos para realizar os desafios da competição.

“O Torneio SESI de Robótica é uma competição que muito nos orgulha por mostrar o quanto vocês são talentosos e, o mais importante, o quanto sabem trabalhar em uma equipe com um objetivo”, disse o presidente do Sistema FIEAM e diretor regional do SESI Amazonas, Antonio Silva, ao abrir o evento de forma remota, que contou com diferentes convidados especiais, incluindo interatividade com a plateia de casa.

O atleta amazonense Sandro Viana, ganhador da medalha de bronze no atletismo dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, foi um dos que marcou presença na transmissão on-line do Torneio SESI de Robótica. Inspirando os competidores da FLL, o velocista relembrou sua trajetória no esporte e contou como era seu tempo de escola em que se dedicava aos estudos.

“Sempre encarei o esporte como uma ciência e o esporte para mim é uma transformação, é algo que mudou a minha vida, a da minha família e de todos ao meu redor”, relatou o atleta, ao recordar também o que mais gostava de fazer quando estava na escola. “Eu gostava de participar na escola da Feira de Ciências, eu tinha uma verdadeira paixão por ela e para mim era o melhor momento do ano. Esse espírito de cientista eu trouxe para dentro do esporte e entendi que é importante você sempre ter um tipo de consciência que leve você a buscar mais informações para ser melhor a cada dia”, ressaltou.

Para motivar os jovens a acreditaram nos seus sonhos e irem atrás de realizar suas metas, Sandro mandou um recado para os alunos de 9 a 16 anos participantes do Torneio. “Hoje eu vim aqui falar para você, jovem que carrega o futuro da humanidade. É baseado na sua ideia, naquilo que você pensa enquanto está sozinho ou quando conversa com os amigos, que você pode mudar o mundo e pode começar aí dentro desse torneio”.

Programação gratuita e online para os jovens

A etapa regional contou com a participação de profissionais de educação física do SESI e atuantes nas áreas como karatê, natação e futsal. Abordando o tema “saúde mental”, a transmissão teve a presença da psicóloga, especializada em neuropsicopedagogia, Deborah Damasceno, que passou recado on-line para os internautas sobre os cuidados necessários com a mente em tempos de pandemia e isolamento social.

Pautas sobre o universo do mundo geek, com assuntos relacionados à tecnologia, filmes e jogos eletrônicos, além da apresentação de dança com toadas do boi Garantido e Caprichoso e degustação de comidas presentes na culinária regional, fizeram parte dos assuntos abordado pelas gêmeas Paula e Bruna Amaral, 14, alunas da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa. 

Além dos três colocados, a equipe Macunaima do Centro de Educação do Trabalhador João de Mendonça Furtado – Escola SESI/ RR, de Boa Vista, também foi classificada para a etapa nacional, que será realizada em junho de forma remota com as melhores equipes de todo o Brasil, selecionadas pelas seletivas dos torneios virtuais.

“Esse ano todos os alunos foram desafiados, seja no fato de trazer projetos inovadores, fazer criação e programação de robôs, ou na questão de submeter tudo isso e ser avaliado de forma on-line, algo novo para todos as equipes”, disse o professor do SESI e técnico da Team Prodixy, Glauco Soprano, ao adiantar para os jovens que a próxima temporada do Torneio SESI de Robótica, os participantes já podem pensar em melhorias para a temática da Logística, pensando em soluções principalmente voltada a realidade da região norte.  

Para parabenizar e encerrar o evento, o representante do Departamento Nacional do SESI, Marcos Sousa, destacou a participação das meninas, que na etapa regional Norte 2020/2021 se mostraram mais presentes entre as equipes. “Esse é um dado muito importante de se dar, porque é a representatividade delas, esse lugar também é delas e que elas se sintam confortáveis aonde quer que elas desejem estar”.

Veja as equipes ganhadoras do Torneio SESI de Robótica 2021 – Etapa Regional Norte:

Prêmio Técnico Destaque: Silvio Luiz Vichroski- Equipe Elev3r

Desempenho do Robô: Elev3r Escola SESI Centro Educacional Isolina Ruttmann (Vilhena-RO)

Core Valeus: Lego Star- Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa

Projeto de Inovação: Lego Machine – Centro de Educação do Trabalhador João de Mendonça Furtado – Escola SESI/ RR (Boa Vista-RR)

Design do Robô: Macunaima – Centro de Educação do Trabalhador João de Mendonça Furtado- Escola SESI/ RR (Boa Vista-RR)

Champion’s Award

1º Lugar: Elev3r Escola SESI Centro Educacional Isolina Ruttmann (Vilhena-RO)

2º Lugar: Robóticos – Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa (Manaus-AM)

3º Lugar: Black and White – Escola SESI Dr. Francisco Garcia (Manaus-AM)

Classificadas para o nacional

Elev3r- Escola SESI Centro Educacional Isolina Ruttmann (Vilhena-RO)

Robóticos – Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa (Manaus-AM)

Black and White – Escola SESI Dr. Francisco Garcia (Manaus-AM)

Macunaima – Centro de Educação do Trabalhador João de Mendonça Furtado- Escola SESI/ RR (Boa Vista-RR)

Categorias
Notícias

Torneio SESI de Robótica é amanhã no Youtube

Já sabe o que fazer neste sábado? Acompanhe a programação do Torneio SESI de Robótica First Lego League (FLL) que será transmitido amanhã, 15, pelo canal do Youtube do SESI Amazonas nos links https://youtu.be/Zbdm9nB5jEI, para a programação de abertura pela manhã, às 8h, e https://youtu.be/Y4kqa75oTgM para assistir a programação da tarde, às 13h. Será um sábado recheado de desafios de robótica, projetos inovadores voltados para a prática de exercícios físicos, competições e brincadeiras com foco na qualidade de vida e na realidade atual. O evento é 100% on-line, gratuito e terá convidados especiais, com interações ao longo de todo dia.

A competição, que reúne alunos de nove a 16 anos, este ano será transmitida a distância, com todas as etapas e desafios do torneio submetidas para os juízes de forma on-line. Com vídeos gravados nos moldes da avaliação, como desafio do robô, design do robô, projetos de inovação e valores de equipe, os alunos serão avaliados em salas virtuais por juízes de todo o Brasil em formato inédito.

“O Torneio SESI de Robótica contará com plateia virtual formada por alunos e participantes de Manaus, Iranduba, Itacoatiara, Parintins, Manacapuru, além dos outros estados com três equipes de Boa Vista (RR) e uma de Pimenta Bueno (RO)”, disse a gerente da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, Ana Karina Holanda.

A ideia é que, mesmo de forma remota, todos se sintam parte do evento. Ao longo do dia haverá programação 100% on-line com diferentes convidados, como o atleta amazonense Sandro Viana, ganhador da medalha de bronze no atletismo dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, e profissionais de educação física do SESI, atuantes nas áreas como karatê, natação e futsal. Pautas sobre o universo do mundo geek, com assuntos relacionados à tecnologia, filmes e jogos eletrônicos, integram a programação.

Como ocorre em todos os anos nos Torneios SESI de Robótica, as equipes são avaliadas em diferentes aspectos e categorias. No design e desafio do robô, os juízes avaliam a apresentação dos alunos sobre o design construído por eles, a programação criada para resolver as missões de forma autônoma, estratégia e o planejamento de quais missões o robô vai realizar. A cada nova temporada os robôs têm missões diferentes a serem desenvolvidas dentro do tempo pré-estipulado na competição de 2 minutos e 30 segundos.

Os alunos ao longo da temática da temporada, que este ano tem como tema Replay, desenvolvem também projetos e criam soluções para um problema real que desafia crianças e jovens a repensarem espaços para a prática de exercícios, competições e brincadeiras com foco na qualidade de vida e na realidade atual.

“Na busca de soluções vale tudo, desde fazer alongamentos na fila do supermercado, subir e descer escadas ou até mesmo dançar e se exercitar em casa, a ordem é movimentar o corpo em qualquer lugar resolvendo o problema do sedentarismo”, ressaltou ela.

Na prática os alunos também são avaliados no chamado “Core Values” que são os valores da equipe durante a temporada e a ideia é continuar mesmo depois da temporada acabar. Usando o trabalho em grupo para conhecer melhor o desafio da temporada, os alunos em equipes precisam inovar com suas ideias originais para o robô e o projeto de inovação, mostrar como a equipe e suas soluções terão impacto e trará principalmente inclusão, além de mesma sendo uma competição, o foco seja se divertir em tudo que fizerem.

Categorias
Notícias

Torneio SESI de Robótica traz projetos de inclusão e prática de atividades físicas

Como movimentar o corpo e se manter saudável sem sair de casa? Os jovens que estão participando da nova temporada do Torneio SESI de Robótica First Lego League (FLL) têm ideias inovadoras para manter a qualidade de vida com foco na realidade atual, e vão demonstrar isso no evento que acontece no próximo sábado, dia 15, e será totalmente online. Além das atividades físicas, o público receberá orientações sobre alimentação saudável e apoio psicológico, entre as ações desenvolvidas pelos jovens por meio de aplicativos, podcasts, Youtube e jogos interativos.

A inclusão para deficientes visuais e crianças com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) foi o foco das equipes Robóticos e Genius.com, da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa. Ao pesquisar sobre a necessidade de inclusão para os dois grupos, os alunos desenvolveram ideias como podcast e um canal com vídeos personalizados de forma gratuita em plataforma online de vídeo e streaming.

Para os deficientes visuais, os alunos da equipe Robóticos desenvolveram um podcast de 10 a 15 minutos reunindo uma série de ações adaptadas para exercícios físicos e alongamento em casa. De acordo com a professora do SESI e técnica da equipe, Alessandra Silva, em pesquisa feita pelos alunos para construção do projeto, foi visto que os deficientes visuais têm uma necessidade maior da prática de atividades físicas para poder desenvolver ainda mais a noção de espaço que eles precisam ter por conta da mobilidade, portanto, tudo tem que ser desenvolvido com cautela e cuidado.

“Pesquisamos nas plataformas de streaming e de fato não encontramos nada parecido. Além disso, apresentamos a proposta para dois deficientes visuais e eles aprovaram a ideia”, contou a professora.

As orientações das atividades físicas e de alongamento são passadas de forma sonora pelo professor de educação física do SESI, Jonilson Aranha, que desenvolve o material com base na vivência dele em casa com os pais deficientes visuais. “Ao perder a visão, um deficiente desenvolve uma habilidade auditiva muito grande”, ressaltou ele. O primeiro episódio já está disponível na plataforma do Spotify https://tinyurl.com/3rkpfdsx.

Para ajudar as crianças com TDAH, o formato criado pelos alunos da equipe Genius.com, foi o de apresentar, em um canal do Youtube, vídeos simples e rápidos com instruções para que os responsáveis possam auxiliar as crianças em uma recreação mais calma, além de estimular tanto o desenvolvimento físico quanto mental para os portadores da doença.

“Incluímos a prática também da Yoga em nosso projeto, pois é um exercício físico que trabalha com a paciência e a calma. A ideia é trazer esses materiais para o Youtube, e tornar mais acessível tanto para assistir de forma gratuita, quanto para quem quiser tirar dúvidas e se comunicar com os responsáveis trocando sugestões”, explicou a professora do SESI e técnica da equipe, Patrícia Dutra.

Aplicativos e Jogos Interativos para prática em casa

Com a tecnologia dos aplicativos, os alunos também trazem ideias inovadoras para a etapa regional 100% online do Torneio SESI de Robótica. As equipes Lego Star e Robot Brotherhood, da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, e os alunos da Black and White, da Escola SESI Dr. Francisco Garcia, apostaram em aplicativos para prática de exercícios físicos, missões e até atividades de danças para combater o sedentarismo.

Quando der a hora de se movimentar, o alerta pode ser dado pelo relógio inteligente criado pela equipe Black and White e conectado a um aplicativo. Com o movimente-se Health Time, o usuário programa o relógio para receber alertas para se movimentar/exercitar seguindo os comandos que aparecerão no visor do relógio. 

Os jogos interativos ficaram por conta da equipe estreante Team Joy, que criou uma roleta de atividades envolvendo diversos desafios simples, como corrida, alongamento e saltos, que podem ser feitos em qualquer lugar.

Categorias
Notícias

Medalhista olímpico Sandro Viana abre Torneio SESI de Robótica

O atleta amazonense Sandro Viana, ganhador da medalha de bronze no atletismo dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, é um dos convidados VIPs que vão inspirar os competidores do Torneio SESI de Robótica First Lego League (FLL). A competição vai reunir alunos de nove a 16 anos  no próximo dia 15 em formato inédito, 100% online, pelo canal do Youtube do SESI Amazonas, no link www.youtube.com/sesiamazonas.

Com o tema Replay, a competição deste ano desafia crianças e jovens a repensarem espaços para a prática de exercícios, competições e brincadeiras com foco na qualidade de vida e na realidade atual. O velocista amazonense fará parte da abertura do Torneio SESI, como convidado especial, relatando sua experiência no esporte e motivando os alunos a se desafiarem com ideias inovadoras. O atleta falará diretamente aos integrantes das 17 equipes participantes do Amazonas, Rondônia e Roraima.

“Adoro trabalhar em prol da educação”, ressaltou o atleta, que atualmente está em São Paulo a convite da seleção brasileira que se prepara os Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Baseado no tema qualidade de vida e práticas no esporte, o evento contará com profissionais de educação física do SESI e atuantes nas áreas como karatê, natação e futsal. E, também, para abordar o tema “saúde mental”, a competição contará com a presença da psicóloga, especializada em neuropsicopedagogia, Deborah Damasceno. Pautas sobre o universo do mundo geek, com assuntos relacionados à tecnologia, filmes e jogos eletrônicos, fazem parte da programação.

O Torneio SESI de Robótica contará com plateia virtual com alunos e participantes diretamente das suas casas. “A ideia é que mesmo de forma remota cada aluno e participante da competição se sinta parte desse evento, além de reforçar o convite para quem se interessar em participar também. Teremos programação ao longo do dia todo com diferentes convidados”, disse a gerente da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, Ana Karina Holanda.

Categorias
Notícias

Escola SESI de Parintins volta às aulas presenciais

Começou nesta segunda-feira, 3, o retorno híbrido das aulas para os alunos do Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano) da Escola SESI Padre Francisco Luppino, localizada em Parintins, município a 369 quilômetros em linha reta de Manaus. A nova rotina reforça as medidas de segurança e higienização contra a covid-19. As turmas do Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) retornam às atividades na escola somente na próxima segunda-feira,10.

Mensagens de afeto e saudade rechearam os corredores da escola na recepção dos alunos. Além do carinho dos professores há placas de sinalização ao longo dos espaços sobre os cuidados necessários para a volta segura. “Preparamos para os dois grupos de alunos, ensino fundamental I e II, uma acolhida bem animada e com segurança. Nós nos reunimos com os pais na última sexta-feira, 30, de forma escalonada, para explicar e aprovar o plano de retorno”, disse a coordenadora da Escola SESI Padre Francisco Luppino, Geisiane Campos.

De forma remota e com ensino a distância desde março de 2020 a Escola SESI de Parintins volta presencialmente com os alunos escalonados em dois dias da semana, divididos por grupos. O primeiro, nas segundas e quartas, e o segundo, nas terças e quintas. A sexta-feira fica reservada para todos nas aulas via plataformas digitais, com encontros ao vivo pelo ambiente virtual de aprendizagem on-line Plurall, disponível no Portal SESI de Educação, e com a ferramenta Google Meet e Office 365.

Os alunos iniciam as atividades escolares presenciais, dando continuidade ao uso do material didático autoral das Escolas SESI em 2021. Os livros e a nova matriz curricular estão compostos de atividades em programas de computador (uso do Minecraft e de I.A), noções de programação por meio do kit de Robótica e com metodologias ativas, sendo preparados para um futuro cada vez mais tecnológico e voltado para a resolução de problemas.

Para volta das atividades com segurança, a Escola SESI Parintins reforçou a sensibilização e os cuidados no retorno às aulas presenciais com os alunos. Ambientes como sala de aula e refeitórios estão demarcados para que haja o distanciamento necessário entre as cadeiras, uso constante de máscaras, álcool em gel e higienização das mãos também faz parte das mudanças, além da aferição da temperatura na entrada da escola. 

“As medidas seguem o protocolo de Segurança das Escolas SESI Amazonas e foram repassadas para os alunos e pais ainda no ensino a distância nas aulas remotas”, explicou Campos.

Categorias
Notícias

Alunos ativam projetos para o Torneio SESI de Robótica

Com formato inédito, 100% on-line, a nova temporada do Torneio SESI de Robótica First Lego League (FLL) está agendada para 15 de maio, com o tema RePLAY, e já rende projetos inéditos das equipes das Escolas SESI de Manaus, Iranduba, Itacoatiara e Parintins. Desafiados a repensarem espaços e atividades pela qualidade de vida com foco na realidade atual, os alunos utilizam o acesso remoto para conectar ideias, como jogos interativos, programas de TV e aplicativos com a tecnologia de Realidade Aumentada.

Atenta aos perigos do sedentarismo, a Equipe Lego Master, da Escola SESI Padre Francisco Luppino, em Parintins (município localizado a 369 quilômetros em linha reta de Manaus), vai apresentar o projeto “Exercita-on: Um programa de TV acessível para Todos”, específico para atividades físicas voltadas à saúde e qualidade de vida dos telespectadores que estão em isolamento social devido ao vírus Covid-19.

“A ideia é desenvolver algo para a TV, porque a maioria das pessoas tem uma em casa e pode ter acesso à prática. Fizemos palestra com especialistas de educação física e saúde para conhecer mais sobre a importância da atividade física, quais os benefícios, principalmente nesse tempo de pandemia”, explicou o professor do SESI e técnico da equipe, Helyssandro Tavares, ao relatar que devido à pandemia os encontros têm sido a distância pelo Google Meet.

Este ano cada aluno irá participar a distância da competição remota no ambiente de avaliação First Reh (Remote Event Hub) – plataforma oficial da First desenvolvida especialmente para os torneios on-line.        As equipes terão que gravar e submeter vídeos diretamente na plataforma virtual, para que os juízes avaliem conforme os desafios das categorias: desafio do robô, design do robô, projeto de inovação e valores.

“Esse será o nosso maior desafio, pois está sendo novidade para todas as equipes a distância, principalmente porque para muitas coisas na robótica é necessário o contato dos alunos, como a montagem das mesas e o desenvolvimento de estratégias na realização das missões. Esse ano será tudo de forma on-line”, disse a professora da Escola SESI David Nóvoa Alvarez, Débora Mesquita.

De acordo com a pedagoga da escola localizada em Iranduba, a 38,8 quilômetros de Manaus, a equipe Engenheiros do Futuro, formada por alunos do 4º e 5º ano, está entusiasmada por participar do novo formato do torneio e completar as missões. Mesquita revela que os estudantes desenvolveram um modelo de jogo interativo, denominado “Play Funny”, cuja ideia é movimentar as pessoas em casa, por conta do isolamento social.

Realidade Aumentada

A equipe Robotizar, da Escola SESI Abrahão Sabbá, em Itacoatiara, 269 quilômetros da capital, aposta na tecnologia de Realidade Aumentada para movimentar os usuários com um aplicativo criado pelos alunos. Com objetivo de apresentar ao usuário possíveis exercícios que podem ser realizados em qualquer lugar com materiais alternativos – vassoura, garrafa pet ou uma cadeira -, o aplicativo dá instruções para as atividades que podem ser realizadas no espaço de casa.

“Contamos com a orientação do professor de educação física da Escola SESI de Itacoatiara para montagem e elaboração desses exercícios“, relatou o professor do SESI e técnico da equipe, Genarde Macedo. Para manter conectado e ativo nos treinamentos que fazem parte da nova rotina de estudos, a equipe montou cronogramas de estudos e adotou reuniões a distância.